Realizada durante anos em parceria com mostras e festivais de diversos estados do Brasil, a Oficina Prática de Produção Sonora Audiovisual, ministrada pelo técnico de som Alexandre Jardim, passou a ser realizada também na sede do órgão, que fica na Av. Brasil, Rio de Janeiro.

Durante cinco horas, os alunos aprendem a enriquecer o filme escolhendo, criando e sincronizando os mais variados tipos de sons e, em sequência, simulando todas as situações sonoras de uma cena.

Por tal razão, a aula começa no estúdio de gravação, onde é possível experimentar a criação de efeitos sonoros (foley) e, depois, segue para o estúdio de mixagem, onde passam a conhecer o trabalho de moldar a forma definitiva do som de um filme.

Os participantes vão ver como acontece na prática a sonorização de um filme de cinco minutos. No caso, estamos usando a animação Quando os morcegos se calam, de Fabio Lignini, como base.“, explica Alexandre Jardim. Responsável por realizar as mixagens de diversos filmes aprovados no Apoio à Produção CTAv, Alexandre tem mais de 30 anos de experiência no segmento. Entre seus trabalhos de mixagem, estão Dedo na ferida, de Silvio Tendler, Introdução à música do sangue, de Luiz Carlos Lacerda e Desarquivado Alice Gonzaga, de Betse de Paula.Também possui contribuições importantes na área de restauração de som, como no caso de Rainha Diaba, de Antônio Carlos Fontoura e Assalto ao Trem Pagador, de Roberto Farias.

Para os interessados em participar da próxima oficina, as inscrições podem ser feitas em nosso site, preenchendo o formulário de inscrição disponível aqui