Hoje foi realizada a primeira visita do ano do Programa de Formação do Olhar. O programa, lançado em junho de 2018 ganhou renovação para 2019 após encontro de Daniela Pfeiffer, coordenadora geral do CTAv e Matheus Quintal, chefe do Escritório Regional da Representação Regional da Ministério da Cidadania, onde foi fechada a continuação do apoio à ação através da viabilização do transporte de grupos escolares até a sede do CTAv, que fica na Av. Brasil, no Rio de Janeiro.

Tendo como objetivo aproximar estudantes da rede pública de ensino com o fazer audiovisual, o programa já levou mais de duzentos alunos a embarcarem em uma visita interativa conhecendo profissionais do ramo, estúdios, acervo, sala de animação e diversos equipamentos e materiais que fizeram e ainda fazem parte do processo produtivo do cinema e do audiovisual, tais como negativos perfurados, truca, moviola, mesa de som e câmeras.

O grupo visitante de hoje foi da Escola Municipal Marcílio Dias, que veio acompanhado pela professora Silvia de Araujo Luna. A programação começou na cabine de projeção, onde após a apresentação de um vídeo institucional do CTAv e da fala de abertura da coordenadora geral, Daniela Pfeiffer, foi exibido o curta brasileiro “ Dez centavos”, de César Fernando de Oliveira.

A professora, que acompanhou a visita da escola também no ano passado, conta que, para muitos, esse é o primeiro contato com o cinema. “Na outra turma, um número considerável de crianças, acho que metade, não me lembro exatamente, nunca tinha ido ao cinema. Para vocês terem ideia do que representou para eles entrar naquela sala, que é um cinema, de como foi um momento muito bom. O que para gente é uma coisa quase do dia a dia, para eles não é.”, ela relatou durante a visita. “Antes eu tinha dado uma breve pincelada do que eles poderiam conhecer aqui e eles ficaram, tipo, ‘quando é que vai ser?’ Dessa vez, principalmente, com essa história da chuva, tiveram mães, eu ouvi os relatos das colegas de trabalho, que entraram no facebook já preocupadas para que eles não perdessem essa oportunidade. (…) Estar aqui para eles é uma oportunidade de ouro, uma oportunidade única porque são famílias muito humildes (…).”

Após a visita, ainda segundo a educadora, o assunto permanece alguns dias na escola, com os professores e entre eles. “Eles vão ser multiplicadores, né? Porque tudo aquilo que estão vendo e ouvindo eles vão espalhar para todo mundo lá. Amanhã tem uma outra turma que virá para cá, e já está nessa ansiedade e, ouvindo o relato deles, essa ansiedade aumenta mais ainda. E a gente fica na torcida para que outras turmas possam vir também. ”

Segundo Silvia, os professores entram na sala para transmitir conteúdos, mas às vezes querem dar algo a mais. E é justamente com o intuito de expandir o olhar desses jovens, apresentar-lhes novas possibilidades de atuação e um mundo visto através de diferentes lentes, lentes de cinema, que o programa de Formação do Olhar foi criado.

Escolas interessadas em participar devem contatar Joana Lima (joana.lima@cultura.gov.br), que agenda e organiza as visitas no CTAv, auxiliando inclusive na seleção dos filmes, de acordo com a faixa etária do grupo. Mais informações podem ser encontradas em nosso site (ctav.gov.br).