CTAv disponibiliza diversos conteúdos em homenagem ao cineasta mineiro.

Em abril, o CTAv homenageia Humberto Mauro, cineasta representante do ciclo regional de cinema brasileiro, inspiração para o Cinema Novo e que teve papel importantíssimo na produção dos filmes educativos do Instituto Nacional do Cinema Educativo (INCE), instituição da qual o CTAv é sucessor.

Com o intuito de rememorar sua relevante contribuição para o cinema nacional e prestigiar sua obra, vamos disponibilizar, do dia 1° até a chegada do seu aniversário, em 30 de abril, diversos conteúdos como curtas, extras e documentários em nosso canal do YouTube, além de artigos e curiosidades, com encerramento especial a cargo do longa Humberto Mauro, de Jurandyr Noronha, filme que completa 50 anos em 2020. Se interessou?

Então confira abaixo a programação completa e acompanhe!

01/04 – Artigo Trajetória de Humberto Mauro, de Paulo Perdigão, publicado na Revista Filme Cultura nº3.
02/04 – Extra: Gustavo Dahl, Sheila Schvarzman e Hernani Heffner comentam sobre a importância dos filmes de Humberto Mauro.
07/04  Extra Cidades Históricas de Humberto Mauro: Sheila Schvarzman fala sobre os curtas feitos sob encomenda do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional sobre as cidades históricas mineiras.
09/04  Curta Sabará: um dos curtas feitos sob encomenda do Iphan.
14/04  Extra Lagoa Santa: Sheila Schvarzman fala sobre a importância do curta Lagoa Santa e suas curiosidades.
16/04  Curta Lago Santa: As descobertas do paleontólogo dinamarquês Peter Lund e a paisagem da região de Lagoa Santa (MG)
21/04 – Filme Mauro, Humberto: Homenagem de David Neves ao mestre Humberto Mauro com registro do seu cotidiano.
23/04 – Curta Brasilianas: Chuá Chuá e Casinha pequenina: o segundo curta da carreira de Humberto Mauro é o mais antigo que se tem registrado do cineasta já que o primeiro, Valadião, o cratera, está desaparecido.
28/04 – Curta Carro de Bois (1974): último filme do cineasta e o único feito em cores, com fotografia de Murilo Salles
30/04 – Longa Humberto Mauro, de Jurandyr Noronha: o filme completa 50 anos em 2020.

NOSSAS REDES SOCIAIS:

Youtube CTAv
Instagram: ctavsav
Facebook: ctavsav

SAIBA MAIS SOBRE O DIRETOR:

Humberto Mauro nasceu na cidade de Volta Grande – MG no dia 30 de abril de 1897. Quando criança, mudou-se com a família para Cataguases. Em 1925, ele e seu amigo Pedro Comello, com apoio financeiro de Homero Domingues, conseguiram comprar uma câmera de 35 mm, aumentando assim sua paixão pelo cinema. Neste mesmo ano, com a participação do negociante Agenor Cortes de Barros, fundaram a companhia produtora Phebo Sul América. Após o sucesso de Thesouro Perdido, a produtora passou se chamar Phebo Brasil.

Já em 1929, Mauro dirigiu Sangue Mineiro, seu último filme na Phebo Brasil. Apesar do sucesso do filme, a companhia não tinha como bancar a tecnologia do cinema falado. Mauro então é convidado para dirigir a Cinédia, companhia fundada no Rio de Janeiro, onde trabalhou junto com Adhemar Gonzaga. Após dirigir seu primeiro musical, A voz do Carnaval, o cineasta troca a Cinédia pela Brasil Vita Filmes, fundado pela atriz Carmem Santos.

Anos depois, a convite de Edgar Roquette-Pinto Mauro, se junta ao Instituto Nacional de Cinema Educativo (INCE), onde de 1936 a 1964 realizou mais de 300 curtas documentais sobre temas variados, como medicina, agricultura, música, história e personalidades.

Em seu último ano de vida, Humberto Mauro recebeu homenagem do Festival de Cannes como um dos cineastas mais importantes do século XX. Sua obra serviu de inspiração para vários diretores do Cinema Novo. Humberto Mauro morreu no dia 5 de novembro de 1983, no seu sítio em Rancho Alegre.